Direitos Autorais Reservados / Lei. 9.610 de 19/02/1998

Protected by Copyscape plagiarism checker - duplicate content and unique article detection software.

28 de abril de 2009

agora em vídeo

video

um recado pra galera

video

fiz esse vídeo pra Natashha. é o segundo que fiz pra ela. É bom poder dar aos fãs algo em troca, pode parecer pouco mas é por isso que as pessoas continuam com as pessoas que gostam.

Brasilidade Angola
(Illa Benício/ Jim Duran)

Arrisca o verbo o poeta longínquo
E brincando faz o destino peão
Joga angola na praça vazia
E na noite vadia batuca a lua nua na rua
Sua doce ilusão

Roendo em tragos sua velha corte
Em cortes fez-se um jogador
De amores pobres , servil vidente
Pro mundo mente ser orador

As vestes foscas , chapéu indevido
Falado o verbo , história pequena
Se vê menino
Meu velho , meu velho...
De toda essa casa , teu familiar silêncio

Tropeça no preço trocado , mulato
Deitado a rede , essa tua brasilidade
Refugia tuas pestanas , na mandinga reversa
dos versos de esquina
Abraça tua mãe-preta e soluça os teus “ais”
Bem, quando você deixa que as coisas fluam por si só não tem o direito de reclamar do tempo que algumas coisas podem levar para acontecer realmente. Ando meio de saco cheio de te ver mesmo. Tem tanta coisa legal rolando comigo, dentre elas o fato de eu estar compondo com Illa e a proximidade com a trupe natashhas. Muito bom isso
O cara não entendeu a proposta do meu show e resolveu ir perguntar pra um cara que é mais burro que ele. conclusão: se danem todos.

23 de abril de 2009

Escrever é uma forma de purificação...
entregar a todos os segredos, medos e
fragilidades.
Ter a lua nos olhos e o sol no abraço.
Amanhã pode ser tarde demais
aceita hoje e vamos
simples e sem medo
desejo aceso
vela, beijos
luz do amor.
Mania de morder o lábio quando nervosa
fazer biquinho pra tirar foto
Andar pela casa como se fosse primavera
espalhar pelos cantos, encantos tão teus
e depois fingir que não sabe o que aconteceu.
Deixa as flores nascerem em tuas mãos,
rega com teus beijos o campo árido
mexe em tuas pernas com o mundo
transforma minha fuga em refúgio
Sou teu
fiquei louco e rasguei um poema,
quebrei uma garrafa de uísque
e raspei a cabeça com gilete...
mas estou vivo e mais perigoso

20 de abril de 2009

Às vezes você fica tão triste
Que tem que beber todo o álcool do mundo.
Hoje eu beijaria todas as sarjetas.
De vez em quando somos apenas ridículos
Querendo ser inédito.
Somos mais do mesmo
Brindamos com copos vazios
Mas os demônios os enchem de vinho.

17 de abril de 2009

foi lançado mesmo.... auhauhauauhaa



Casamento Alquímico (Chemical Wedding, 2008) -


Aleister Crowley dá as caras em filme de horror inglês.









Em 1947 morria na cidade de Hastngs, Inglaterra, aquele que foi chamado pela imprensa britânica de “o homem mais perverso do mundo”: Edward Alexander Crowley. Conhecido como Aleister Crowley, foi o mais famoso mago contemporâneo, responsável por revolucionar a tradição mágica incorporando particularidades até então impensáveis. Ocultista, artista, charlatão, aventureiro e de brilhante inteligência, pode-se dizer que Crowley foi repudiado pelos seus semelhantes pela ousadia de transgredir as convenções – esotéricas ou não -, e de certa forma, acabou vítima dos próprios excessos, deixando como legado todo um sistema mágico complexo e desafiador.Tal caráter contracultural não passou despercebido, sendo que após a morte, sua controversa personalidade não só deixou seguidores quanto serviu de base para obras de ficção, seja na literatura – ”O Mago”, de Somersert Maugham - , como na música (inspirando inúmeros roqueiros) e no cinema. O que pode ser conferido já em 1957 na produção A Noite do Demônio (Night of the Demon), de Jacques Tourneur, onde a caracterização do satanista Karswell (Niall MacGinnis) é nitidamente calcada no mago inglês. Também a essa influência podemos associar os diabólicos Mocata de The Devil Rides Out (1968), de Terence Fisher (Hammer) e Adrian Marcato, de O Bebê de Rosemary (Rosemary’s Baby / 1968).Contudo, somente em 2008, sessenta e um anos após sua passagem ao oriente eterno, Aleister Crowley foi personagem de um filme de horror: Casamento Alquímico (Chemical Wedding) dirigido por Julian Doyle a partir de história escrita em parceria com o metaleiro Bruce Dickinson (ex-Iron Maiden) a partir de um de seus álbuns de mesmo nome.A narrativa começa com os últimos momentos do mago (John Shrapnel, inspiradíssimo), em Hastings, quando é acometido de um colapso enquanto estava na companhia do aprendiz Symons (Paul McDowell) e do incrédulo Alex. Em seguida, desloca-se para a Inglaterra atual, onde conhecemos o proeminente físico norte-americano Dr. Joshua Mathers (Kal Weber), recém-chegado da Cal Tech para trabalhar num experimento sobre realidade virtual em Cambridge. No caso a interação de um traje especial (um tipo de roupa de astronauta) desenvolvido por ele com o supercomputador Z93, que teria como resultado a ligação perfeita entre a máquina e o cérebro humano. O problema é que o programador da máquina, o perturbado Dr. Victor Neuman (Jud Charlton), tinha segundas intenções. Seguidor da doutrina de Crowley, convertera seus ritos e cerimônias para linguagem de máquina e os armazenou dentro do Z93, usando como cobaia na experiência seu cúmplice, o desajeitado professor de literatura Oliver Haddo (Simon Callow). Algo, porém, não sai como esperado. Haddo entra em colapso dentro do traje, voltando transformado. O professor é possuído por Aleister Crowley e passa a escandalizar o corpo docente da universidade – em parte composto de maçons - com seus desvarios e blasfêmias.Decidido a perpetuar sua obra, Haddo/Crowley pretende realizar um poderoso rito, a geração do demônio enoquiano Choronzon, personificação das forças infernais. Para tal intento se concretizar, seria necessária a união carnal com a bíblica prostituta da Babilônia no que seria o clímax da cerimônia satânica: o casamento alquímico. E recai sobre a jovem estudante Lia (Lucy Cudden), envolvida com o jornal da universidade e interesse romântico do Dr. Mathers, o interesse do bruxo. Ela será a sua “mulher escarlate” no rito supremo e caberá ao físico norte-americano utilizar a tecnologia moderna para salvá-la das garras da “mágicka” arcana de Crowley.Casamento Alquímico, apesar do roteiro por vezes confuso ao tentar misturar física quântica com bruxaria, tem como grande mérito ser a primeira produção destinada ao grande público (lembrando que o cineasta underground Kenneth Anger já se debruçara sobre o tema com outras intenções) que faz tantas referências ao universo crowleyano. Referências que irão instigar muitos espectadores a conhecerem melhor a obra de Mr. Therion e são facilmente identificáveis pelos adeptos*. Ainda que estes certamente torçam o nariz para algumas liberdades, pela redução ao senso comum de alguns preceitos e a caracterização do personagem principal, enfatizando e exagerando os aspectos mais pérfidos. O que pode ser justificado pelo fato de Casamento Alquímico ser uma produção de horror com elementos sexploitation (algumas pitadas de sadomasoquismo e nudez), em muito lembrando a fase áurea do horror B inglês, especialmente os filmes da Hammer. Uma obra que celebra os excessos e é bastante divertida. Resta saber o que o retratado principal acharia.
"Amor é a lei, amor sob vontade!" (Aleister Crowley (1875-1947)(*) Algumas dessas referências:- O sobrenome Mathers, do físico norte-americano, evoca o líder da famosa ordem Golden Dawn, Samuel MacGregor Mathers, que acabou se tornando inimigo de Crowley.- O personagem Victor Neuman pode ter sido baseado no acólito Victor Neuburg.- A jovem graduanda Lia Robinson remete a Leah Hirsing, uma das “mulheres escarlates” do mago.- Há claras referências ao cientista-bruxo Jack Parsons, da Cal Tech, responsável por significativas pesquisas aeroespaciais – foi um dos responsáveis pelo desenvolvimento do programa espacial norte-americano – e líder da organização de Crowley nos Estados Unidos, assim como seu então parceiro L.Ron Hubbard (o criador da cientologia).

13 de abril de 2009

...

pra um bom entendedor um risco quer dizer Francisco...


Amor Ou Amizade?
Cazuza
Composição: Cazuza / Frejat
A amizade é uma das coisas mais preciosas da vida
e fica melhor ainda quando vira amor.
(quero beijá-la e abraçá-la para viver em paz).
Quero dizer-lhe que te amo,
no começo confundi com carinho
mas hoje tenho certeza que é amor.
(quero beijá-la e abraçá-la para viver em paz).
Você é especial eu te conheço
e sei que é uma pessoa compreensiva
e que me entenderá.
(quero beijá-la e abraçá-la para viver em paz).
Não quero que isso abale a nossa amizade,
apenas quero que se complete mais.
(quero beijá-la e abraçá-la para viver em paz).
Espero ansioso que me procure,
porque quero beijá-la e abraçá-la,
pois só quando ver-me em seus braços poderei sentir PAZ.

será que já foi lançado???????



O pôster de Chemical Wedding, longa que traz Bruce Dickinson, vocalista da banda Iron Maiden, como roteirista acaba de ser divulgado. O cantor também irá supervisionar a trilha sonora do longa que será dirigido por Julian Doyle, que trabalhou na produção de diversos clássicos do Monty Python, como Em Busca do Cálice Sagrado e a A Vida de Brian.No filme, o ator Simon Callow (Shakespeare Apaixonado) faz o papel de um professor de Cambridge que é a reencarnação de Aelister Crowley, polêmico ocultista britânico, conhecido por suas posturas controversas e pelo tarô que leva seu nome. Além dele, participa do filme John Shrapnel (Tróia), como o próprio mago.Aleister Crowley sempre intrigou personalidades ligadas ao rock. Jimmy Page, por exemplo, chegou a comprar nos anos 70 uma mansão onde o mago teria vivido. Ozzy Osbourne, por sua vez, escreveu um de seus maiores clássicos baseado nele e o próprio Bruce Dickinson compôs a faixa Revelations, do álbum Piece of Mind, tendo como referência Aleister Crowley. O cantor também lançou, em 1998, um álbum intitulado Chemical Wedding.O filme, que já está sendo filmado, tem previsão de estrear nos cinemas britânicos em meados de 2008.
ahhhhhhhhhhhh semana difícil. Sei que terei mesmo que tomar algumas posições que não serão nada fácil, mas é claro que ficar contra a parede não me satisfaz em nada.

Queria apenas que você compreendesse que tenho bons motivos, creio eu, para ter feito o que fiz. Às vezes parece que é loucura mas não é não.

Algumas pessoas merecem sorrir mais do que outras, por isso escolhi o seu sorriso ao invés do meu.
ahhhhhhhhhhhh semana difícil. Sei que terei mesmo que tomar algumas posições que não serão nada fácil, mas é claro que ficar contra a parede não me satisfaz em nada.
Queria apenas que você compreendesse que tenho bons motivos, creio eu, para ter feito o que fiz. Às vezes parece que é loucura mas não é não.
Algumas pessoas merecem sorrir mais do que outras, por isso escolhi o seu sorriso ao invés do meu.

3 de abril de 2009


Hoje foi uma sexta-feira gloriosa. Primeiro pela notícia de que o filho da Juliana nasceu, nosso isso me deixou como se tivesse ido à Lua. Depois por causa dessa mulher da foto. Poucas vezes fui tão feliz ao lado de uma pessoa como fui ao teu, te amo desde Salvador. Você sabe como foi difícil me separar, assim como sabe que você continua em mim e eu continuo em você. Beijos na alma.
sexta-feira de dúvida, blues e apostilas pra prova de hj.
rs
é claro que ando curtindo caminhar sozinho de novo, sem ter sempre uma sombra me sufocando. as pessoas não entendem que precisamos sim caminhar sozinhos.

2 de abril de 2009

sera que volto aos palcos

Sim, estou nao so pensando em voltar aos palcos, com tambem ja estou planejando o tal retorno. Sempre quis fazer um stand up comedy e creio que estou pronto. Ja tenho ate um lugar em mente onde sera a primeira apresentacao..
vamos ver se tudo da certo, mas e claro que isso fica pro segundo semestre.

1 de abril de 2009

para Má

Não procure a perfeição

Minha doce menina
Não procure a perfeição.
É apenas um momento antes do sonho
Ou mesmo antes do despertar.
Olhe os seus passos na areia do tempo
Que estranho caminho a trouxe até aqui.
Se aninnhe em meus versos
Aqui é sua morada perfeita
Aqui é onde o sentimento se torna confuso
Onde a vontade de partir impera
Onde as mãos gemem no mais sincero toque.
Tudo é amanhã
Todo momento é de busca,
Nenhum é de certeza
Apenas a indizível solidão de ser.
Quanto sonharam com seu riso?
Com seu colo?
Quantos poemas os deuses te deram?
Quantas flores foram colhidas para perfumar seu travesseiro
Para te fazer majestosa passagem?
De que forma quer os seus sonhos?
Receba em tua boca
Um doce beijo da poesia


Tupã, 30 de março de 2009